Patos-PB, Domingo - 17 de Junho de 2018

Notícias

Imprimir   

Secretaria de Saúde de Patos visita paciente de acidente do TFD e avalia quadro clínico.

Equipes do Centro Especializado em Reabilitação - (CER), Transporte Fora de Domicílio – (TFD) e a secretária de saúde, Priscila Ramos estiveram na tarde desta segunda-feira, (05) no Conjunto dos Sapateiros para ver de perto o caso da paciente, Wênia Gadelha de 29 anos, uma das vítimas do acidente com uma Van, que transportava pacientes de Patos para João Pessoa, no último dia 19/03 e capotou entre as cidades de Sta. Luzia e Junco do Seridó.

 

Wênia passou por uma cirurgia delicada em duas vértebras da coluna cervical tendo que permanecer em repouso absoluto. Diante deste fato, foram gerados alguns comentários em portais da cidade, dizendo que a paciente estaria paraplégica, fato desmentido pela equipe médica que operou a paciente. O cirurgião geral, que a mãe não lembra o nome, falou à família que, ela ficaria imobilizada por um bom tempo devido a sensível cirurgia, mas que com as sessões de fisioterapia, a recuperação será mais rápida.

 

A Fisioterapeuta do CER, Jéssica Soares, em uma avaliação preliminar acrescentou que a paciente tem sensibilidade nos membros inferiores, o que indica que ela não está paraplégica. “a paciente está num estado “bem” pós-cirúrgico, a gente analisou que ela tem muito estímulo, ela está sentindo as pernas, formigamento nos pés quando a gente fez alguns sinais, mexendo no pé dela. Sente estímulo normal, está sentindo dor, é só por causa do pós-operatório imediato, por isso que ela não tá movimentando ainda, mas com a fisioterapia e toda a assistência dada pela prefeitura a ela, ela vai voltar imediatamente, isso é questão de tempo.”.

 

A Mãe de Wênia, Dona Salete Gadelha Sousa, mostrou-se indignada com os comentários feitos por parte da imprensa patoense que não teve nem sequer respeito à família. “Eles deviam ter vindo aqui, pra saber de mim o resultado, pra eu poder dizer... estava com ela em Campina e ela não estava sem movimento nas pernas. Pra ficar deficiente, como todo mundo comenta.” Segundo ela, o médico falou que a filha, andará em um ano, mas acredita que isso acontecerá muito antes.

 

Priscila Ramos, Secretária de Saúde do Município, informou que toda assistência está sendo dada a Wênia, desde Campina Grande, quando foi disponibilizado, medicamentos, insumos e colchão de água até a assistência física e psicológica. “no momento ela está se recuperando, porém, não está paraplégica, como divulgaram. Estou aqui, foi feito curativo, ela sente, tem sensibilidade nas pernas, então isso com o tempo, fisioterapia vai melhorando o quadro dela e ela vai se recuperar.” Para a secretária está descartado o quadro paraplégico, como foi divulgado por alguns órgãos de imprensa.

 

Jéssica Soares - Fisioterapeuta do CER

Salete Gadelha - Mãe de Wênia

Priscila Ramos - Sec. de Saúde de Patos

 

« Voltar