Patos-PB, Domingo - 25 de Agosto de 2019

Notícias

Imprimir   

Educação de Patos realiza planejamento com gestores de escolas que aderiram ao Programa Mais Alfabetização 2019

Gestores e supervisores das 25 escolas municipais que aderiram ao Programa Mais Alfabetização 2019 participaram na tarde desta quarta-feira (10), na sede da Secretaria Municipal de Educação, de uma reunião com a coordenação pedagógica e coordenação de programas. Na pauta da reunião estavam as orientações relacionadas ao início das primeiras atividades práticas do programa junto às escolas neste ano.
 

O Programa Mais Alfabetização, instituído pelo Ministério da Educação (MEC), atua no município desde o ano de 2018, e traz como objetivo fortalecer e apoiar o processo de alfabetização de estudantes regularmente matriculados nos dois primeiros anos do ensino fundamental, com a aquisição de competências como leitura, escrita e matemática.
 

A coordenadora pedagógica da Educação, Rozeane Lustosa, conta que este ano o programa é continuado e que ainda no mês de fevereiro foi liberada a plataforma interativa para o preenchimento com dados por parte dos gestores escolares, que buscaram adesão e inserção das turmas no sistema de monitoramento.
 

“O nosso planejamento hoje foi para que a gente começasse a colaborar com os trabalhos pedagógicos, porque os administrativos eles já vêm sendo feitos com todos esse corpo de profissionais envolvidos. Desde fevereiro que o sistema abriu no PDDE Interativo para os diretores, então a gente já começou inserindo e com todo o cuidado de todos os alunos participarem,” informou a coordenadora pedagógica.
 

Contudo, continua a coordenadora, só agora em julho que foi enviado um calendário de ações que os municípios devem iniciar. Após a adesão e inserção das turmas, já feitos, vem o momento da aplicação de avaliações diagnósticas para o monitoramento do desenvolvimento da aprendizagem desses alunos. Por isso se fez importante a convocatória dessa reunião.
 

“A gente começa hoje de forma oficial marcando já data de aplicação de avaliação. Essas avaliações vão servir como referências para que a gente identifique as maiores necessidades na aprendizagem dos alunos de 1º e 2º ano,” comentou Rozeane.
 

O programa tem a previsão de funcionar nos municípios no período de seis e a oito meses. Para isso, as unidades escolares recebem um incentivo financeiro, através do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), para a cobertura das despesas do programa. Porém, a coordenadora conta que essa verba ainda não foi enviada para os municípios.
 

“Nós também temos uma contrapartida do Ministério da Educação com uma verba. Nós ainda não recebemos essa verba em questão. Esse recurso é para o pagamento do assistente de alfabetização, e o valor restante para compra de material. A gente ainda não recebeu, mas a gente já trabalha com a hipótese de reorganização quando esse incentivo chegar, com a admissão dos assistentes de turmas. Contudo, a então a gente começou sem a verba com a alimentação do sistema, e agora com a aplicação da avaliação diagnóstica,” detalhou Rozeane.
 

Entenda a importância do Programa

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC), documento de referência quanto aos direitos e objetivos de aprendizagem de todo o ensino fundamental, prevê que o foco da ação pedagógica nos primeiros dois anos do ensino fundamental deve ser a consolidação do processo de alfabetização. Embora as crianças participem de diferentes práticas de letramento na Educação Infantil e em contextos externos à instituição escolar, é no 2º ano do ensino fundamental que se espera que elas sejam alfabetizadas.



ROZEANE LUSTOSA - COORDENADORA PEDAGÓGICA DA EDUCAÇÃO

« Voltar